01 abril 2005

A Mentira no Dia a Dia das Mentiras

O príncipe Charles soltou ontem, no meio de uma sessão de fotos ao lado dos filhos: "Detesto essa gente" (os fotógrafos e jornalistas). É o mesmo cara do "queria ser seu tampax", dos chifres e escândalos favoritos dos últimos 20 anos. Mas ontem e, pelo jeito, na história do 'tampax', ele tava falando a verdade. Assim como o Severino Cavalcanti, quando cobrou um ministério do Lula. Engraçado nosso mundo: são os momentos de sinceridade explícita que viram notícia. Que viram escândalo. Não as mentiras.

Aí que todo dia virou o dia mundial da hipocrisia, transmitida ao vivo para todos que acham que ela está longe. Daí que fica mais significativo do que eu imaginava aquele filme em que o Jim Carrey interpreta um advogado que, de uma hora para outra, não consegue mais mentir. Ou aquele outro em que o Mel Gibson passa a 'escutar' o pensamento das mulheres.

É a constrangedora sinceridade que me faz gostar dos livros do Nick Hornby (seja o autobiográfico 'Febre de Bola' ou o semi-autobiográfico 'Alta Fidelidade'), do Paul Auster e do Chico. Ou dos berros esgoelados e doloridos do Kelly Jones (Stereophonics) numa das maiores fossas já gravadas, o "You Gotta go there to Come Back". Trata-se da mesma honestidade que me faz correr atrás de todos os discos do U2 gravados ao vivo. A voz do Bono indica tudo que a música o faz sentir. Tudo que ele quis dizer. Não há máscaras!

Máscara que o Tom Cruise usa em "De Olhos bem Abertos" quando Nicole deixa a sua cair. Metáforas pobres de lado, hoje não discutimos o uso ou não de máscaras e sim a espessura delas. O franco virou "Grosso!!!". O sincero é percebido como mal educado. O honesto é bobo.

O que você faria se pudesse ficar sem máscara um dia inteiro? Diria para seu chefe tudo que acha dele? Mandaria aquele colega chato pra PQP? Confessaria aquela paixão inconfessável? Gritaria pro mundo que tá (quase) tudo errado...tipo: "Pára que eu quero descer!!" ?

E se teu chefe viesse te falar tudo que ele pensa de ti? E se teu colega te mandasse tomar no cu pq vc é chato? E se aquela menininha 'simpática' viesse confessar uma paixão incontrolável por ti? Como vc reagiria?

Vivemos morrendo de vontade de berrar nossas verdades e cagando de medo de ouvir as verdades dos outros. Vivemos ou fingimos?

Tentei calçar os sapatos do Carrey (de novo?!?!) e da Kate em "Brilho Eterno..." Naquele momento em que ambos escutam as fitas com as justificativas para a 'deleção' de suas memórias. Que barra... Que merda (de situação)... Realmente é mais fácil colocar uma galocha e sair na chuva de máscaras.




Mas se aquela garota com um 'Carpe Diem' tatuado nas costas estiver no ônibus de novo , ela escutará poucas e boas. Se aquela loura que me roubou cruzar meu caminho de novo serei "Grosso!!!". Se meu chefe vier me pentelhar agora vou mandá-lo pr'aquele lugar. De novo?!?! Se me convidarem pr'um chopps e dois pastel vou me arrebentar de novo... Carpe Diem! De novo?!?!




ps: Ócio sim. Criatividade passou longe... q viagem...

3 comentários:

Anônimo disse...

Onde assina?

Guz disse...

Nandô, sei não... meio 'grosso' esse seu texto...

Assino também...

Paulo Vasconcellos disse...

Qq lugar, uai. Se quiser assinar só pra ti, dá um berro! Se quiser que a gente saiba quem é vc, rabisca teu nome aí.